Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Perfluorotributilamina: o gás com efeito estufa que é 7.100 vezes pior que o CO2

Mäyjo, 23.01.14

Perfluorotributilamina: o gás com efeito estufa que é 7.100 vezes pior que o CO2

 

Todos os anos os níveis de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera aumentam, assim como a lista dos gases com efeito de estufa. A mais recente adição a esta lista é a Perfluorotributilamina (PFTBA), uma substância química usada na indústria que tem um potencial para o aquecimento global 7.100 vezes maior que o CO2, o principal gás responsável pelas alterações climáticas. A conclusão foi publicada na revista Geophysical Research Letters.

 

Apesar de apenas uma pequena quantidade de PFTBA estar presente na atmosfera terrestre, o período de vida desta substância é de centenas de anos, o que significa que fica igualmente presente na atmosfera durante essas centenas de anos. Este químico, sem odor e incolor, está amplamente disponível em sites de venda online e a sua venda não é regulada. “Não existem políticas para controlar a sua produção, uso ou emissão”, afirma Angela Hong, uma das investigadoras da Universidade de Toronto que participou no estudo, cita o Quartz.

O conglomerado industrial 3M, que vendeu durante mais de 40 anos vários químicos relacionados com a PFTBA, chamados fluorinertos, refere no seu portal online que estes químicos “têm elevados potenciais de aquecimento global e longos períodos de vida atmosférica. Como tal, devem ser cuidadosamente geridos para minimizar as emissões”.

 

As propriedades químicas da PFTBA – e de outros perfluorocarbonetos (PFC) – torna-a perfeita para lasers de refrigeração e circuitos eléctricos. O Google, por exemplo, registou várias patentes com PFTBA para utilizar o químico nos sistemas de arrefecimento dos seus servidores. Os PFC podem ainda ser utilizados, em teoria, pelos astronautas e pelos mergulhadores, como um líquido de substituição ao oxigénio.

 

Os PFC podem ainda ser utilizados como sangue artificial (ainda que a sua aplicação ainda esteja a ser estudada). A estrutura molecular e a natureza das ligações químicas intramoleculares destas substâncias permitem a existência de espaços vazios na estrutura do líquido, o que faz com que os PFC dissolvam o oxigénio e o CO2 como nenhuma outra substância. A PFTBA também pode ser utilizada para fritar batatas.

Já foram feitos testes em laboratório, com ratos, e verificou-se que os animais conseguiram sobreviver várias semanas depois de respirarem perfluorocarbonetos, ainda que com alguns danos nos pulmões.

 

Os investigadores da Universidade de Toronto apenas descobriram 0,18 partes de PFTBA por bilião na atmosfera, comparado com as 400 partes por milhão de CO2. Porém, os investigadores argumentam que o uso desta substância deve ser cuidadosamente monitorizada, assim como outros gases com efeitos de estufa potenciais que ainda não foram estudados.

"Seeds of Love" - mensagem de Vandana Shiva

Mäyjo, 23.01.14

No vídeo abaixo, uma mensagem de Vandana Shiva no final de um ano de guerra contra a Monsanto e contra as novas e criminosas "leis das sementes". Uma luta que Vandana Shiva  empreendeu com a ajuda de muitas organizações e agricultores, a favor das sementes livres, da biodiversidade, da soberania alimentar dos agricultores e das populações, da democracia alimentar.

Ajudemos nesta luta contra a ditadura das grandes corporações, continuemos a semear, dar e trocar as variedades tradicionais, pois uma lei que proíbe isso, não é uma lei legítima. Apoiemos a agricultura ecológica e biológica, contra os transgénicos e o uso de venenos. E não nos deixemos enganar pelos estratagemas das grandes corporações que até controlam e compram as revistas científicas para que estas não publiquem (ou retirem) os artigos que denunciam os malefícios dos seus produtos, para a saúde (e para o ambiente); esses sim, verdadeiros atos terroristas. Como ela já disse numa das muitas vezesque aqui a trouxe, "Qualquer lei que se interponha no caminho do dever ecológico, social e ético de guardar sementes, nós temos de desobedecer! »
Vandana acaba a sua mensagem pedindo força nesta luta em 2014, e citando Rumi: 
"Nesta terra, neste campo imaculado, não plantaremos nenhumas sementes que não sejam as da compaixão e do amor".
Fonte: aqui

 

Os 24 lugares abandonados mais espetaculares do mundo

Mäyjo, 23.01.14

Você consegue imaginar um mundo sem seres humanos? Aqui você terá uma idéia.

1. Pripyat, Ucrânia

 

2,5

 

Barry Mangham / Pixog

 

3.4

 

boredpanda.com

Pripyat, uma cidade de cerca de 50.000 pessoas, teve que ser completamente abandonada após o desastre de Chernobyl, em 1986. Devido à radiação, foi deixada intocada desde aquela época e terá de ser assim durante milhares de anos. A natureza agora governa a cidade.

Dois. Mirny Diamond Mine. Sibéria, Rússia.

 

6.2

 

imgur.com

O segundo maior buraco feito pelo homem, Mirny era uma cidade projetada pelo governo de Stallin para dar resposta à procura de diamantes industriais. Tudo foi arquivado quando se tornou muito difícil continuar com a construção do poço.atlasobscura.com

Três. Ryugyong Hotel. Pyongyang, a Coreia do Norte.

Ryugyong_hotel_01

wikipedia.org

Abril. UFO Casas Sanzhi. San Zhi, Taiwan.

 

1.3

 

picc.it

Maio. Six Flags Jazzland. New Orleans, EUA.

 

5.4

 

lovethesepics.com

 

6flags_parks

 

mnn.com

6. As Viagens de Gulliver Parque. Kawaguchi, Japan.

 

8.3

 

Antigo Creeper

7. Castelo de Bannerman. Pollepel Island, Nova Iorque.

 

11.3

 

snackish.com

8. Farol nas rochas de Aniva. Sakhalinskaya, Rússia.

 

Aniva-rock

 

michaeljohngrist.com /

Trem 9.Estación Jaca. Espanha.

 

12,3

 

blogspot.com

10. Chateu Miranda. Celles, Bélgica.

 

miranda

 

imgur.com

11. Fábrica de carvão abandonada. França.

 

fakfafas

 

 

Martin Vaissie

12. Eilean Donan. Loch Duich, Escócia.

 

eilean_donan_castle_by_drronson-d4xi8fl

 

drronson

Localizado nas Terras Altas da Escócia, a ilha de Eilean Donan, esteve abandonada até 1911, quando foi restaurada por um proeminente oficial militar aposentado.  wikipedia.org

13. Hashima Island. Japão.

 

hashima-fora

 

tumblr.com

 

hashima

 

 totallycoolpix.com

No passado, a ilha de Hashima era rica em carvão, mais de 5.000 mineiros que viviam lá. Quando o petróleo substituiu o carvão como fonte primária de combustível, a ilha foi abandonada.

14. Moinho abandonado. West of Quebec, no Canadá.

 

Millpark

 

Dan Brien

15. Estação da Câmara. Nova Iorque, EUA.

 

19,1

 

imgur.com

A estação da Câmara. em Nova York, foi construída em 1904 e fechada em 1945 porque só 600 pessoas a usavam diariamente. huffingtonpost.com

16. Orpheum Theater. New Bedford, Massachusetts, EUA.

 

20,1

 

boredpanda.com

17. Central energética abandonada. Bélgica.

 

poder

 

linkandshare.altervista.org

18. Naufrágio do SS América. Fuerteventura, nas Ilhas Canárias, Espanha.

 

naufrágio

 

Pedro Lopez Batista

 19. Sunken City. Shicheng, China.

 

27,1

 

china.org.cn

Shicheng está debaixo de água desde 1959, depois da entrada em funcionamento da hidroelétrica do rio Xin. A cidade foi fundada há 1300 anos. wherecoolthingshappen.com

20. Fortes Maritimos Red Sands. Sealand. Reino Unido.

 

281

 

flickr.com

21. Estação Central de Michigan. Detroit, EUA.

 

5260170376_9aa8659557_b

 

Jean-Pierre Lavoie, photojpl.com

 

30,1

 

boredpanda.com

 22. Fábrica de foguetes, abandonada. Rússia.

 

36,1

 

imgur.com

23. Hotel El Salto. Colômbia.

 

37,1

 

today.it

O hotel El Salto foi construído em 1928, devido à grande atração turística por Salto del Tequendama. Eventualmente, a queda de água foi ficando contaminada e os visitantes perderam o interesse.

24. Cristo do Abismo. San Fruttuoso, Itália.

 

38.
Fonte: www.upsocl.com

 

Ar mais limpo pode salvar milhões de vidas por ano

Mäyjo, 23.01.14

Ar mais limpo pode salvar milhões de vidas por ano

 

Um novo estudo avança que o combate às alterações climáticas pode 700 mil pessoas até 2030, somente como resultado da diminuição da poluição do ar.

A investigação sugere que os benefícios dos cortes na poluição do ar, apenas por via do uso de combustíveis fósseis, justificariam a acção por si só – mesmo sem outros impactos climáticos, como o tempo mais extremo e o aumento do nível do mar.

A equipa da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, comparou dois futuros – um em que as alterações climáticas estão estabilizadas, por via de cortes agressivos nas emissões de gases com efeito de estufa, e um em que as emissões não sejam contidas. Depois, os cientistas modelaram os resultados com os seus consequentes efeitos na saúde.

Eles descobriram que, em 2030, poderiam ser evitadas entre 300 mil a 700 mil mortes prematuras por ano – tal como entre 800 mil a 1,8 milhões em 2050 e entre 1,4 milhões a 3 milhões em 2100.

Segundo o Grist, os benefícios na redução das emissões de combustíveis fósseis seriam particularmente significativos na China e no leste da Ásia, onde o valor das melhorias na saúde seria entre 10 a 70 vezes maior do que o custo de redução das emissões. “Os benefícios na América do Norte e na Europa são muito altos, mas no leste da Ásia temos uma grande população exposta a uma poluição do ar muito má, portanto há muitas oportunidades de melhoria lá”, disse Jason West, autor do estudo.

Este analisou a forma como cortar as emissões das fábricas movidas a carvão, dos carros e de outras fontes reduz os níveis de pequenas partículas poluentes causadoras de ataques cardíacos, derrames e cancros do pulmão.

Ao contrário de estudos anteriores que tendem a concentrar-se em países ou regiões específicas, este novo estudo teve uma abordagem global. “A poluição do ar não pára na fronteira”, disse West. “Se a China reduz a poluição, as pessoas fora da China beneficiam.”

 

in: Green savers Cabo Verde

Pequim coloca ecrãs gigantes para transmitir nascer e pôr-do-sol e “fintar” poluição

Mäyjo, 23.01.14

Pequim coloca ecrãs gigantes para transmitir nascer e pôr-do-sol e “fintar” poluição

 

O smog chinês chegou a um ponto tão extremo que as autoridades de Pequim estão a colocar ecrãs gigantes para transmitir imagens do nascer e pôr-do-sol, de acordo com a revista Time. Os ecrãs futuristas tinham sido instalados para publicitar destinos turísticos, mas foram reaproveitados para transmitir o nascer e pôr-do-sol de uma cidade que deixou de ter luz natural devido à poluição.

Ontem, a cidade acordou com outro manto intenso de poluição atmosférica, o que levou as crianças e idosos a ficarem em casa por ordem as autoridades. Os restantes habitantes, porém, colocaram as suas máscaras e foram ver o pôr-do-sol, a cores, para as ruas.

“Não conseguia ver os edifícios do outro lado da rua”, explicou um coordenador do trânsito de uma das mais congestionadas artérias da cidade. “O smog piorou nas últimas duas ou três semanas. Muitas vezes tusso e o meu nariz está sempre com alergia, mas não posso fazer nada para além de beber água, para que o meu corpo possa libertar as toxinas”, explicou Zhang.

A poluição atmosférica das cidades chinesas intensifica-se no Inverno, com o aumento da produção das centrais de carvão. Por vezes, o smog arrasta-se durante dias. Ontem, a densidade das PM2.5 – partículas de poluição com dimensão inferior a 2,5 micrómetros – encontrava-se entre 350 e 500 microgramas, quando a quantidade considerada segura pela Organização Mundial de Saúde se situa nas 25.

 

in: Green Savers

 

 

Alterações climáticas: seca vai aumentar 80% na Península Ibérica em 2100

Mäyjo, 23.01.14

Alterações climáticas: seca vai aumentar 80% na Península Ibérica em 2100

 

No final deste século, a Europa deverá sofrer de secas mais severas devido às alterações climáticas e ao aumento da população, que irá consumir mais recursos hídricos.

Segundo um estudo da Comissão Europeia (CE), estes dois factores serão os responsáveis por um aumento de 80% das secas em 2100 no sul do velho continente – o que inclui a Península Ibéria e Itália. Adicionalmente, os períodos de seca serão também mais severos que aqueles que se verificam actualmente.

Os investigadores indicam ainda que os níveis dos cursos de água, incluindo os principais rios e ribeiros, poderão diminuir na ordem dos 40% nesta região da Europa. Na Península Ibérica, em particular, os cientistas prevêem que a temperatura média possa aumentar cinco graus Celsius até ao final do século.

Aliados aos problemas da seca vêm os problemas económicos e sociais. Estima-se que nas últimas três décadas as secas tenham custado à Europa mais de €100 mil milhões (R$321,5 mil milhões).

Para tais conclusões, os investigadores utilizaram modelos computacionais para prever quais as regiões da Europa que vão ser mais gravemente afectadas pelo aumento das temperaturas e pelo consumo intensivo dos recursos hídricos. Os cientistas analisaram modelos climatológicos e hídricos para cenários diferentes até ao ano de 2100.

“Os cenários são narrativas de possíveis evoluções – até 2100 – da nossa sociedade que nós utilizamos para quantificar as futuras emissões de gases com efeito de estufa e o consumo de água por diferentes sectores”, afirma Luc Feven, hidrologista da CE.

O estudo indica ainda que as temperaturas médias do planeta poderão aumentar até 3,4 graus até 2100.

 

Foto:  joseluiscaroherrero / Creative Commons

 

In: Green Savers

Rio do Prado: um hotel ecológico e semi-enterrado em Óbidos

Mäyjo, 23.01.14

Rio do Prado: um hotel ecológico e semi-enterrado em Óbidos (com VÍDEO)

 

Chama-se Rio do Prado, é uma unidade de turismo de natureza situada em Óbidos e faz da ecologia e sustentabilidade o seu lema. Com 15 alojamentos semi-enterrados – para não serem notados na paisagem – o hotel tem no seu grande jardim um dos seus ex-libris.

“Foi uma questão de geotermia natural. Queríamos que a amplitude térmica fosse a melhor possível, e a terra favorece-nos em relação ao ar”, frisou ao Economia Verde um dos responsáveis do projecto, Telmo Faria.

O Rio do Prado começou a desenvolver o seu conceito de sustentabilidade desde o primeiro momento, através do estudo do que passava à volta do terreno. Com a construção assegurada, foram também desenvolvidas pequenas acções que ajudaram à sustentabilidade final.

Assim, a decoração é feita com materiais antigos, a água dos banhos é aquecida por painéis solares e reutilizada. “Temos uma ETAR para isso. Depois, essa água reciclada é devolvida aos quartos para o autoclismo”, continua Telmo Faria.

O hotel apanha também a água das chuvas, que envia para pequenos lagos e, posteriormente, usa para responder às necessidades hídricas das plantas e relvado. Todas as lâmpadas são de baixo consumo ou LED, e o hotel também vende energia fotovoltaica para a rede.

Telmo Faria diz ainda que as soluções ecológicas não retiram o conforto de um hotel de cinco estrelas – na verdade, o próprio hotel contabiliza a pegada carbónica dos clientes. Quem for mais verde, diz Telmo Faria, garante uma factura final mais barata. “O programa lê toda a água quente, fria e reciclada consumida, os watts do ar condicionado, tomadas e dos pontos de iluminação. Com esta informação conseguimos decifrar o impacto ambiental que a estadia pode provocar”, conclui Telmo Faria.

Veja as dezenas de medidas sustentáveis tomadas pelo hotel nesta lista.

Há ainda uma horta biológia e estufa, que os próprios clientes podem ajudar a construir. Muitos dos alimentos do restaurante, e de uma pequena mercearia, vêm daqui.

 

Veja o episódio 186 do Economia Verde.


in: Green Savers

5 Dias, 5 Factos - ONU

Mäyjo, 23.01.14

Ao longo de cinco dias, a Fundação das Nações Unidas, compartilhou vários factos por dia sobre as conquistas que conseguiram em relação aos desafios globais mais difíceis.

O que a ONU e os seus parceiros estão a fazer em relação a esse tema e por que as questões que os preocupam são tão importantes.

O principal argumento: O progresso é possível se agirmos!

 

Veja os factos... e espalhe a palavra e envolva-se!

 

 

 

FACTO 1: A pobreza extrema foi reduzida pela metade desde 1990. 

 

 

 

FACTO 2: No período 1990-1992, 1 milhar de milhão (1 bilião) de pessoas estavam desnutridos. Esse número caiu para 842 milhões em 2011-2013.

 

 

 

 

FACTO 3: A partir de 2000-2011, a taxa de matrícula no ensino primário em regiões em desenvolvimento aumentou de 83% -90%.

 

 

 

 

FACTO 4: O úmero de crianças que morrem antes do seu quinto aniversário caiu quase 50% desde 1990.

 

 

 

FACTO 5: A partir de 1990-2011, mais de 2,1 biliões de pessoas conseguiram o acesso a fontes melhoradas de água potável.